Esquerda virtual
COLUNA

Dilma fará as reformas exigidas pelo povo

A DEMOCRACIA BRILHA

DIÁRIO DO GOLPE

DIÁRIO DO GOLPEA coluna vai publicar uma série de textos que Langstein Almeida escreveu a partir de outubro de 2014 e é uma homenagem à sua memória. Deputado Estadual nos anos 1960 e um dos fundadores das Ligas Camponesas, a crônica atenta de Langstein nos ajuda a entender os subterrâneos do processo que levou ao golpe contra a presidenta Dilma Rousseff.

11/10/2019 08h04Atualizado há 1 mês
Por: Agassiz Almeida Filho

 

POR LANGSTEIN ALMEIDA

04 DE OUTUBRO DE 2014

Para conquistar a graça dos senhores banqueiros, Marina caminhou, apressada, para a extrema-direita, linha marginal onde habitam os seres que odeiam Dilma por ela ter tirado da miséria 56 milhões de brasileiros. Aécio é cópia ideológica de FHC. Se fosse eleito, daria de presente o Banco Central aos banqueiros estrangeiros que cobram dos produtores e consumidores nacionais os juros mais caros do mundo.

Qualquer um desses dois ilustres candidatos imitaria Fernando Henrique Cardoso ao doar um novo Proer aos banqueiros, sequiosos para amontoar dinheiro fácil.

A vantagem de Dilma no Nordeste é tão grande que, somada à maioria importante oferecida por São Paulo, poderá fazê-la ganhar logo no primeiro turno, a fim de que tenha força política suficiente para impor ao Congresso Nacional as reformas que 76% da população exigem.

Pasmem! O modelo econômico BR ainda é o mesmo implantado pela ditadura militar, a mando da Elite de Guerra dos USA. O mandatário cruel desse modelo econômico de insuficiente crescimento material foi o senhor Delfim Neto. Os protestos de rua, em junho de 2013, são a arma que Dilma vai brandir para convencer alguns deputados e senadores renitentes a votar as reformas da educação, da saúde, da segurança pública, da regulamentação da mídia televisiva, da tributação da remessa de lucros, desestimulando os senhores remetedores de dólares, e dos juros, até ficarem nos patamares internacionais.

A reforma do Judiciário deve ser proposta pelos Ministros do Supremo Tribunal Federal, tendo por base a quantidade de processos que a capacidade de trabalho mediana de um juiz possa solucionar mensalmente. O fortalecimento do Estado Democrático de Direito passa pela conquista de uma Justiça competente, ágil e decidida, que respeite os prazos processuais constantes de um novo Código de Processo Civil e Criminal.

Como prêmio à história do povo brasileiro, e seguindo o exemplo de outros países, espera-se que o Congresso Nacional anule a Lei de Anistia imposta pelos torturadores da época da sanguinária ditadura militar.

Caso seja necessário, nós estamos dispostos a acampar no entorno do Congresso Nacional até que todas as reformas virem lei.

A Presidenta deve nomear um Ministro da Fazenda que cuide de tapar as duas grandes sangrias do capitalismo brasileiro: a da remessa de lucros sem contrapartida e a de juros de agiota cobrados da produção e do consumo.

O processo social de produção capitalista é a máquina que impulsiona o transatlântico. Por isso, deve estar em perfeito estado para que cumpra sua missão de oferecer bem-estar.

Copiar o que é bom é ato de inteligência. O futuro ministro da fazenda deve se inspirar no processo capitalista chinês, que já resgatou para a classe média cerca de 500 milhões de pessoas. O capitalismo chinês é denominado de capitalismo integral porque não apresenta qualquer sangria. Informe-se que só existe, desde o século XV, um processo de produção, que é o capitalista.

Os empreendedores não podem produzir socialmente sem que se socorram dos componentes orgânicos do modo de produção capitalista. Para realizar mercadorias, o empresário, pequeno ou grande, não pode prescindir de uma determinada quantia de dinheiro que irá virar capital através do investimento produtivo. Não pode deixar de contratar trabalho pago; não pode renunciar aos instrumentos de produção; não pode deixar de adquirir constantemente a matéria-prima e não deve deixar de construir ou alugar a fábrica.

Esses são os componentes do processo capitalista, nascido do ventre do processo feudal de produção para transformar a natureza em produtos para o consumo dos seres humanos e dos animais.

Socialismo quem faz é o Estado. Dilma fez socialismo quando elevou da miséria milhões de pessoas pelo bolsa-família; quando oferece de graça remédios aos velhos e a muitos doentes; quando labuta para promover a transposição do Rio São Francisco com o fim de reabastecer os reservatórios que fornecem água potável a milhões de nordestinos; quando constrói a barragem de Belo Monte com a finalidade social de fornecer energia elétrica a tantos brasileiros.

Esta nobre senhora promoveu outros tantos atos socialistas em favor dos brasileiros...! E fará muito mais em seu segundo mandato, porque, desta vez, nós estaremos nas ruas para apoiá-la em seu esforço pela realização das reformas ou para criticá-la pela inércia ou pela conveniência de fazer umas reformas e outras não!

Se o congresso Nacional endurecer seu conservadorismo, a presidenta deve se socorrer do instituto do plebiscito e do acampamento do Povo no entorno do Congresso Nacional. As reformas sociais e as reformas do processo capitalista brasileiro têm que ser feitas no transcurso do governo Dilma. Esta é a hora e a vez!!

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários