Esquerda virtual
GUARABIRA

Polarização política chega às faculdades de Direito

CAMPO DE PROVAS PARA O BOLSONARISMO

16/10/2019 18h16Atualizado há 2 meses
Por: Agassiz Almeida Filho

 

A POLARIZAÇÃO POLÍTICA que divide o Brasil também está presente entre os estudantes de Direito. Seguindo a orientação de Olavo de Carvalho, o bolsonarismo tenta ocupar espaços dentro da comunidade acadêmica em geral, embora o guru da extrema-direita despreze profundamente a universidade e a denomine de “puteiro funk”. A proposta do bolsonarismo é combater o chamado marxismo cultural e suas conexões com um suposto movimento globalista.

Amanhã (17), os alunos do curso de Direito da Universidade Estadual da Paraíba, em Guarabira, cidade a 100 km de João Pessoa, vão às urnas para escolher o grupo que comandará o Centro Acadêmico Antônio Cavalcante - CADI durante a próxima gestão. É uma das eleições mais combativas dos últimos anos, informa Antonio Marcos, aluno do oitavo semestre que integra uma das chapas em disputa, o que reflete uma certa projeção da política nacional entre os estudantes da faculdade.  

O professor Agassiz Almeida Filho, chefe do Departamento de Direito, informou que ambas as chapas “estão mantendo um tom equilibrado e o compromisso democrático na discussão das propostas”. Apesar disso, houve denúncias de vandalismo e de agressão entre os apoiadores das chapas, fato que simboliza o grave momento pelo qual passa o país na atualidade. No Congresso da Ação Política Conservadora, que teve início na última sexta-feira (11), o deputado Eduardo Bolsonaro incentivou esse tipo de conduta, afirmando que os bolsonaristas devem se contrapor a argumentos políticos com memes (leia aqui).

A chapa Construir Direito, encabeçada por Isaac Câmara, apresenta um perfil político moderado, crítico aos projetos do governo federal para a educação superior, a exemplo do Escola Sem Partido, do Future-se e da privatização da universidade. Entre suas principais propostas para o curso, destacam-se a realização de júris simulados, a formação de grupos de estudo do CADI e parcerias com outros cursos do CH para a organização de simpósios interdisciplinares.

Chapa Construir Direito: “Em tempos em que o movimento estudantil está desacreditado, (...) precisamos renová-lo com a boa política e com a participação de todos.”

Chapa Construir Direito
Chapa Construir Direito

A chapa Renova CADI, por sua vez, tem como candidato a presidente o estudante Ezequiel Castro e representa o bolsonarismo militante na faculdade, dotada de composição conservadora e alinhamento com o pensamento de Olavo de Carvalho. Entre as propostas da chapa para a comunidade estudantil, estão a revitalização da parte frontal do campus, a realização de ações sociais junto à sociedade civil e a organização de eventos desportivos.

Chapa Renova CADI: “Declaramos que não temos simpatia por ideologias totalitárias, a exemplo do fascismo, do nazismo e do comunismo."

Chapa Renova Direito
Membros da chapa Renova CADI

Um membro da chapa Renova CADI, que não autorizou a divulgação do seu nome, afirmou que “a polarização política do país em nada influi no processo eleitoral do CADI”. No entanto, devido ao enfrentamento entre os dois grupos, a eleição para o centro acadêmico deve funcionar como um campo de provas para o bolsonarismo militante entre os estudantes da UEPB.

Fotos: Reprodução

Ilustração: Arquivo

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários