Contraponto topo
COLUNA

Lula e seus caminhos

O EX-PRESIDENTE CONTINUA SENDO O NOSSO MAIOR TRUNFO POLÍTICO

JOSÉ DE OLIVEIRA COSTA

JOSÉ DE OLIVEIRA COSTAEngenheiro agrônomo, Professor da Universidade Federal da Paraíba, Mestre em economia, autor de “Reflexões – Política para o desenvolvimento solidário”.

31/01/2021 03h49Atualizado há 3 meses
Por: Agassiz Almeida Filho

POR JOSÉ DE OLIVEIRA COSTA

A política perdeu muito do que tinha até abrir o debate confiante na capacidade de emitir conceitos bem elaborados, em vez de acusações cheias de impropérios, sem qualquer base ou fundamento, apenas. A politicagem anda, atualmente, enchendo mentes vazias com impropérios contra políticos, sem qualquer fidelidade à verdade em seus argumentos, mesmo que em cima de episódios já apurados em todos os níveis do Poder Judiciário. 

O caso de Lula é o exemplo mais gritante pela extravagância das ações para destruir totalmente a sua reputação, mesmo depois de o sistema judiciário ter, praticamente, livrado o seu nome das acusações torpes das quais foi vítima. Mas há doentes mentais, movidos pelas mais vergonhosas intenções, que não perdem qualquer oportunidade para ferir os outros com base nas mesmas alegações já claramente desfeitas pela justiça.

Apesar de toda a fé que tinha em Lula, os meus princípios em relação à política me fizeram buscar a leitura das partes essenciais dos processos de acusação e defesa de Lula; isso para sentir o quanto as acusações são vazias e carentes de provas. Digo isto também com base em uma matéria da revista Isto É, de feição claramente passional, que me enviaram. É muito grave considerar uma leviandade desse tamanho contra uma pessoa, com base, apenas, em convicções eivadas de vícios e paixões antidemocráticas.

Considerar também que a verdade não é referência para o poder jurídico é outra leviandade. Afinal, temos uma democracia que, mesmo frágil, tem suporte em instituições cujas ações, em sua maioria, têm os estatutos menores e a Constituição como guias. A propósito, o autor do texto da Isto É, sem dúvidas, ignora, possivelmente por pura má fé, todo aparato legal que dá base à democracia brasileira, o que o faz um crente antidemocrático, um apaixonado da força contra a liberdade. 

Lula chegou ao fim de um governo de 8 anos, com 85% de aprovação. Ali surgiu a interrogação de como desfazer o prestígio de um ex-presidente da República com essa reputação. A resposta certamente estava pronta e é a que vemos ser insistentemente corroborada: inventando e articulando acusações mentirosas contra ele. Pode não pegar definitivamente, mas o distancia da política e consome a energia de sua reputação. Põem-se isto à prova e assim subtrai-se o prestígio da democracia, mesmo que num parco tempo em que caiba um golpe, como coube. 

Apesar de tudo que perdemos, a história já nos redime e uma verdade tem que ser absorvida: a de que o Poder Judiciário pode sofrer depreciações, mas não se pode eliminar o seu poder democrático. 

É tanto assim que aí está Lula e, quase em total liberdade, continua sendo o maior trunfo político da nossa democracia atual. De tudo isto, pode-se concluir que os caminhos agora estão ainda mais claros para ele. Ninguém duvide.

Foto: Sérgio Castro/Estadão Conteúdo 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários